Imprensa

G1 mostra o novo Volkswagen Golf acelerando em SP

Webasto

13 de August de 2013

A Volkswagen apresentou o novo Golf nesta terça-feira (13), em São Paulo, e colocou o carro para acelerar com convidados do evento no Aeroporto Campo de Marte. O G1 deu uma volta rápida a bordo do hatch que chegou à sua sétima geração no ano passado -aqui no Brasil até então era vendido na quarta geração. O carro chega às lojas no mês que vem, por ora importado da Alemanha -sem motor flex, portanto. Ainda não foram divulgados os preços.

Um pequeno circuito foi montado em uma área do evento  e pilotos conduziram o carro em uma volta rápida e acelerada, num slalom (zigue-zague entre cones), para simular situação de risco e demonstrar recursos de segurança do modelo.

Esses recursos integram o sistema que a montadora chama de Pro Active, que será vendido como opcional e já é utilizado no SUV Touareg. No início de uma forte frenagem, por meio da ativação de um assistente de frenagem, por exemplo, ele aumenta a pressão nos cintos do motorista e do carona, antevendo a possível abertura dos airbags.

Quando uma situação de condução altamente crítica e instável é detectada as janelas laterais (deixando uma pequena abertura) e o teto solar são fechados.

Foi a primeira vez que a Volkswagen mostrou o carro oficialmente no Brasil -até então ele só havia sido flagrado em testes, com alguma camuflagem.

Com o anúncio, a montadora colocou fim ao tradicional “suspense” sobre a chegada do modelo ao mercado nacional, que já havia sido praticamente quebrado com esses flagras do carro nas ruas,mensagens da própria VW na internet e o site especial para o modelo “vazado” um dia antes. Segundo a Volkswagen, as vendas no país começam em setembro.

As 3 versões
A expectativa é de que o Novo Golf, como será chamado, seja mais caro, sobretudo por ser importado da Alemanha.

O Golf antigo, vendido atualmente no Brasil como Golf 2014, tem motores 1.6 e 2.0 flex e parte de R$ 52.390. A versão mais cara, Sportline 2.0, sai por R$ 62.180, segundo o site da montadora. Ambas são fabricadas em São José dos Pinhais (PR).

A nova geração será vendida em 3 versões: primeiro na Highline 1.4 automática e manual e, no fim do ano, na GTI 2.0. Ambas têm teto solar e tela sensível ao toque. Os motores são turbo e com injeção direta.

A GTI, nomenclatura que a Volkswagen usa para versões esportivas, será a topo de linha e é a “mais potente, rápida e econômica de todos os tempos”, diz a Volkswagen.

Ela terá motor 2.0 , que desenvolve 220 cavalos entre 4.500 e 6.200 rpm (com gasolina; por enquanto, não há motor flex) com câmbio DSG, automático de dupla embreagem com 6 marchas, e sistema start-stop, que desliga o motor automaticamente quando o carro para em um semáforo, por exemplo. No visual, há detalhe em vermelho sobre a grade frontal e os faróis, pinças de freio também em vermelho e rodas de liga leve de 17 polegadas.

G1 adiantou na última sexta-feira (9) que o Brasil receberia a versão GTI do Golf, com base nas fotos do internauta Bruno Pedroso Guedes de algumas unidades flagradas em uma carreta nos arredores em São Bernardo do Campo (SP), nos arredores da fábrica da Volkswagen.

Além dele, o Golf será vendido na versão Highline, que, em outros modelos, é o nome de um pacote mais equipado (Fox e Gol, por exemplo, têm uma versão Highline, que é mais cara). Ela terá a tecnologia BlueMotion, que visa economia de combustível.

Nessa versão, o hatch terá motor 1.4 de 140 cv (com gasolina) com transmissão manual de 6 marchas e start-stop. Haverá ainda a Highline automática, com transmissão de dupla embreagem DSG de 7 velocidades.

Equipamentos
Todas as versões serão equipadas de série com 7 airbags (2 frontais, 2 laterais, 2 do tipo cortina e 1 de joelho, para o motorista) e controle eletrônico de estabilidade (ESC). Haverá ainda rádio CD player, freios com sistema Multicollision Brake, freio de estacionamento eletromecânico com função Auto Hold, bloqueio eletrônico do diferencial XDS e alerta de perda de pressão dos pneus.

Como opcional, será oferecido um sistema de seleção do perfil de condução. Por meio da tecla Mode, ao lado da alavanca de câmbio, é possível escolher entre 4 modos de condução: Eco, Sport, Normal e Individual.

Mais longo, mais largo, mais baixo
O “Golf 7″ é o primeiro Volkswagen a utilizar a nova plataforma global da empresa, a MQB, que promete mais modularidade. A mesma plataforma é usada pela Audi para o A3.

Daí a expectativa de que os dois modelos venham a ser fabricados no Brasil futuramente, também em São José dos Pinhais, onde poderão dividir espaço na linha de produção. Na fábrica do Paraná são produzidos ainda Fox, CrossFox e SpaceFox.

O novo Golf tem 4,25 metros de comprimento, 1,79 metro de largura e 1,45 metro de altura, ou seja, é 56 mm mais longo e 13 mm mais largo que o antecessor vendido na Europa (versão que nunca chegou no Brasil); além de 28 mm mais baixo.

Já o entre-eixos cresceu 59 mm, chegando agora a 2,64 m – o maior benefício está no espaço para as pernas, 15 mm maior, segundo a VW. Internamente, também há mais espaço para os ombros (31 mm na frente e 30 mm para os passageiros de trás). A capacidade do porta-malas saltou de 350 para 380 litros.

O carro está 100 kg mais leve que o modelo anterior por conta da maior presença de aço ultrarresistente, que o torna mais barato e menos poluente. Na europa, o modelo traz motor 1.6 litro a diesel (104 cv), da versão Bluemotion, que promete a média de 30 km/l.

Fonte: Globo